Rasgando o verbo em viver fui tecendo o que sou. Tenho pouca idade, porém meus anos de vida nunca foram empecilhos para arquitetar meus...

Apresentação: Alexandre Bismarhjck

By | sábado, outubro 13, 2012


Rasgando o verbo em viver fui tecendo o que sou. Tenho pouca idade, porém meus anos de vida nunca foram empecilhos para arquitetar meus sonhos e fazê-los realidade. Escrever é minha paixão, e desde cedo isso era notável em meu cotidiano. Terminei o ensino médio em 2010, logo ao termino do ano já havia passado em concorrido vestibular na Federal do Pará, porém era para Direito, e nunca fora meu sonho fazer algo relacionado à área jurídica, mesmo contra vontade do meu pai, fui fazer cursinho em Belém do Pará para fim do ano tentar Medicina, pois era isso que eu almejava. No meio do ano de 2011, me inscrevi no vestibular da federal do Tocantins, porém inseguro comigo mesmo coloquei para Direito, pois acreditava que não era capaz de passar para medicina, e meu pai sempre dizendo que minha vocação era para Direito, porém não queria ouvi-lo por saber que era um sonho dele frustrado e ele queria que eu vivesse-o. E para minha surpresa não passei em primeira chamada, para minha alegria e tristeza dos meus pais. Voltei para o cursinho. Preparei-me para Enem, na esperança que conquistaria meu “ sonho”, se é que eu o sonhava mesmo. E matriculei-me no SISU; com uma nota boa dava para eu optar por muitos cursos em boas universidades pelo pais, porém como a federal do maranhão estava mais próxima dos meus pais lancei minha nota. Daí veio a indagação, já que medicina não estava dando a nota, fazer Enfermagem que é algo que mais aproxima-se ao que quero, ou Direito para satisfazer desejo de outrem ?! Optei para Enfermagem, e comecei a cursar Enfermagem na Federal. Foi uma alegria e tanto aos meus, menos a quem?! Aos meus pais. Mas mesmo assim entenderam e respeitaram minha opção. Já nas primeiras semanas de aula comecei a me destacar, tento no primeiro mês um artigo cientifico publicado, ele era inerente à psicopatologias em soropositivos no Brasil e para minha surpresa apresentei-o em um simpósio cientifico sendo bastante parabenizado pelos doutores e mestrandos da UFMA.


 Logo após a apresentação fui convidado para participar de um projeto de pesquisa ( extensão ) chamado ALMA, onde haviam vários vieses dentro da mesma perspectiva inicial que era voltada às comunidades quilombolas de Alcântara - Ma, aceitando sem muito o que pensar já que é um projeto muito disputado. No inicio senti-me meio que deslocado pelo fato de ser do primeiro período e a maioria ser de períodos avançados, o mais difícil de lidar no inicio com essa nova vida acadêmica foi o fato de ouvir muita crítica pelo fato de estarem aceitando, em tão renomado projeto um rapaz de 19 anos no primeiro período. Porém não demorou muito para mostrá-los minha capacidade e destreza. Dentro do projeto a algumas semanas já recebi proposta de ajudar na elaboração de dois livros, um relativo a ilha do Livramento situado na Baia de São marcos em São Luís, em outro sobre A festa do Divino Espírito Santo em Alcântara não muito longe de São Luís. Depois de passar dez dias ajudando na elaboração destes, surgiram rumores de greve nas instituições Federais para minha tristeza. E chegando ao campus de imperatriz que era onde cursava constatei que era verdade, tendo que voltar para casa. Passaram-se muitos dias e ócio físico e intelectual começou a bater, tinha que fazer algo, não sabia bem o que, mais tinha. Sabendo das inscrições do Prouni fui logo lançar minha nota para algum lugar, e como sempre fui apaixonado por letras e justiça, lancei para PUC-Go; saindo o resultado da minha aprovação com bolsa integral corri para Goiás fazer minha inscrição, mas algo me ocorreu no meio da estrada e entrei em uma monologo profundo, indaguei-me a viajem inteira, sem entender o porquê dessa opção, nunca fora o que quis, e agora indo ao encontro do paradoxo existencial do qual havia me colocado. Justiça, sempre amante fui, porém sentia que veria mais hipocrisia em um curso jurídico  mais que em qualquer outro lugar, mais logo coloquei em minha cabeça, vim à terra para o diferencial, vim para praticar aquilo que acredito, vim para lutar contra as mazelas sociais, vim para, através do que sou, ser mais com o outro. Hoje curso o primeiro período de Bacharelado em Direito na Pontifícia Universidade Católica de Goiás como bolsita integral do Prouni. Tenho um amor imenso ao curso, um amor imenso pelo ser humano, e sei que minha existência e dedicação nesse curso serão de extrema e eficácia relevância a sociedade em geral. No meu dia-dia tento contrastar tudo que vejo que vai contra os preceitos de moral e ética que tanto estudamos, luto por uma igualdade e uma justiça que acredito ser possível, luto pelos direitos dos que tem e não sabem. Finalizo meu humilde texto com a frase do nosso querido filosofo Frances Voltaire “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.”


Obrigado                                                                Alexandre Bismarhjck- PUC-GO

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial