"Nessas 24 perguntas, vocês encontrarão o assunto que cairá na prova. Respondam, estudem e se aprofundem".  Essas foram palavr...

"Nessas 24 perguntas, vocês encontrarão o assunto que cairá na prova.

By | domingo, outubro 14, 2012

"Nessas 24 perguntas, vocês encontrarão o assunto que cairá na prova. Respondam, estudem e se aprofundem".  Essas foram palavras do Professor Rodrigo Remígio na aula que antecedia a prova de Introdução ao Direito.   Devo dizer que prestei atenção às respostas que ele deu à maioria daquelas perguntas, no entanto optei por reler todo o assunto e me abraçar com três livros indicados pela ementa da FACIPE, além de navegar por alguns sites bem didáticos.  O professor é visto como um profissional dedicado, competente e bastante exigente. Nesses dois meses o que percebi é que ele é extremamente inteligente, chegando a ser erudito. No dia da avaliação, esqueci o que acontecia no mundo e gastei manhã e tarde tentando dirimir as dúvidas (quando o assunto é profundo e nos interessa, para cada dúvida eliminada surgem pelo menos mais duas), de vez em quando ouvia o sinal de e-mail e quando parava para tomar café com leite, aproveitava para conferir. Recebi 12 questionários respondidos. Amigos que queriam compartilhar o que acreditavam iria ser a prova.

 O interessante: 12 e-mails originados de um único colega.  As mesmas respostas.  Só por volta das 17 horas li analisando as respostas.  Discordei de algumas e preferi acreditar que as minhas estavam certas.  Ainda assim fui para a prova só com a minha agenda e os assuntos se atropelando dentro da minha cabeça. Eu pensava: “DE MODO ALGUM O PROFESSOR VAI FAZER UMA PROVA COM ALGUMAS DAQUELAS PERGUNTAS! ELE DISSE QUE A GENTE DEVERIA ESTUDAR E SE APROFUNDAR!" Bem, o professor aplicou oito provas diferentes, em cada uma ele colocou três perguntas que faziam parte daquele questionário.  Comentário unânime após a prova: O PROFESSOR FOI UM PAI!  Ao entregar as notas e comentar as provas o professor perdeu o posto de pai e alguns futuros agentes do direito o condenaram: COMO ELE NÃO ACEITOU A MINHA RESPOSTA?  ELE MANDOU ESTUDAR PELO QUESTIONÁRIO!”

Quando o professor disse "estudem e se aprofundem”, deu um conselho que subjaz a qualquer ajuda explícita.  Ficou subentendido que a ajuda dada na elaboração das perguntas serviria como um caminho e não como um fim. Conviver com pessoas inteligentes exige que nos tornemos seus semelhantes.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial