Olá queridíssimos diaristas, irmãos de curso e concurseiros e concurseiras que tiram um pequeno ...

Música da madrugada: Vou deixar a vida me levar!

By | quinta-feira, março 07, 2013
Olá queridíssimos diaristas, irmãos de curso e concurseiros e concurseiras que tiram um pequeno tempo para dar uma conferida nesse humilde blog, venho informar que estou mais confuso do que nunca! Por isso agora, vou deixar a vida me levar. Eu vou explicar tudinho, tenha calma! :P

Primeiro, quero deixar claro mais uma vez que minha meta de carreira a ser seguida é sem dúvidas a magistratura, ou seja, quero ser juiz, de preferência da área criminal, enfim. E como bom pesquisador, sempre estou atrás de informações a respeito dessa área do direito que tanto me chama atenção, sendo que eu poderia prestar concurso pra cargos jurídicos dos quais poderia trabalhar menos e ganhar mais, pois foi-se a época que juiz era sinônimo de riqueza, é claro que o salário é bom, mas creio que não seja tão motivacional se comparado a outras carreiras que tem por ai.

Como fiquei sabendo disso? Eu de vez em quando leio o Diário de um juiz (Inclusive coloquei o blog como recomendação aqui do diário), que mostra a realidade nua e crua dessa área, e o melhor, contada por quem está vivendo ela :) [ Nesse post ] que podemos ler sobre a quem interessa um poder judiciário fraco, vemos explicação sobre o motivo das férias prolongadas que os juízes tem direito entre outros pormenores que mostram uma "Desvalorização" do magistério, o que me deixou um pouco tenso, mas mesmo assim ainda vou perseguir meu sonho de infância, só que agora com os pés no chão.
 E como não se bastasse, fui ler uma matéria do G1 que conta a façanha de um jovem de 25 anos que conseguiu passar em 1º no concurso de juiz federal, que tinha uma rotina de estudos que chegava a 14 horas diárias, tá pensando que é mentira? Então [ Clique aqui ] e confira! Veja o trecho que diz sobre a rotina de nosso exemplo a ser seguido:


G1 - Qual era sua rotina de estudo?
A aprovação em qualquer concurso público consiste em projeto de longo prazo, desde o momento inicial da preparação até a realização das provas. Para o concurso da magistratura, assim como a maioria dos candidatos, tive que conciliar trabalho e estudo, o que não foi nada fácil. Mantinha uma rotina média de 7 horas diárias de estudos. Tentava gozar as minhas férias nas datas próximas às provas, período em que intensificava as leituras, alcançando jornadas de até 14 horas.
 Entretanto ele também deu umas dicas de como lidar com as derrotas antes de chegar ao sucesso, afinal nem tudo são flores! veja:


G1 – Como lidar com as derrotas?
Não tenho constrangimento em declarar que, para alcançar suadas aprovações, vivenciei tristes reprovações. Hoje não tenho dúvidas do quanto as derrotas me ajudaram a crescer. Não apenas por terem tornado mais saborosa a vitória, mas porque me auxiliaram a obter diagnósticos precisos dos rumos que eu deveria dar aos meus estudos. Do ponto de vista emocional, cada reprovação demanda uma virada de página e a obtenção de forças para seguir adiante. Desistir, nunca! É preciso aprender a analisar fria e objetivamente cada derrota, detectando os erros, os conteúdos que demandam mais atenção e as necessárias mudanças de enfoque.

Então, como nosso exemplo disse, desistir nunca! Mas no momento não estou no nível exigido para ser aprovado num concurso desse, e você provavelmente também não está. Se você que estiver lendo isso também tem o sonho de seguir a carreira de juiz, ai estão as dicas de quem conseguiu chegar lá, note que o sacrifício que ele fez foi enorme! Até porque estudar 14 horas por dia não é pra qualquer um, e ser juiz realmente não é pra qualquer um.

Já sabemos o que fazer né? Por mais que dificuldades existam, elas foram feitas para serem superadas e nós com certeza vamos superar :) Por enquanto vamos viver um dia de cada vez, vamos deixar a vida nos levar pra onde ela quiser (De preferência pra uma aprovação rsrsrsrsr).

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial