A presidenta Dilma Rousseff se reúne nesta segunda-feira (24) às 16h com governadores e prefeitos das capitais para discutir medidas que a...

Dilma se encontra com governadores, prefeitos e líderes de protestos

By | segunda-feira, junho 24, 2013
Foto: Roberto Stuckert / PRA presidenta Dilma Rousseff se reúne nesta segunda-feira (24) às 16h com governadores e prefeitos das capitais para discutir medidas que atendam às reivindicações por melhorias dos serviços públicos. Às 13h30, ela terá encontro com líderes dos protestos que ocorrem no país, segundo informe da Agência Brasil, órgão noticioso do Poder Executivo.

De acordo com diversos sites, a reunião do início da tarde é com representantes do Movimento Passe Livre (MPL) de São Paulo, entidade que comandou as primeiras manifestações de uma mobilização que entra na terceira semana e já colocou nas ruas mais de um milhão de pessoas em mais de cem cidades.


Os protestos organizados pelo MPL levaram à redução das tarifas de ônibus urbanos em São Paulo e influenciou providência semelhante por parte de várias prefeituras, principalmente nos grandes centros.

"As manifestações da semana trouxeram importantes lições: as tarifas baixaram e as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional. Temos que aproveitar o vigor destas manifestações para produzir mais mudanças, mudanças que beneficiem o conjunto da população brasileira", disse Dilma em pronunciamento ao país na sexta-feira (21). Ela anunciou na ocasião que pretendia receber líderes das manifestações, sem precisar quais seriam.

Em nota distribuída nesta segunda, o MPL mostrou surpresa em relação ao convite, mas creditou-o à força e à legitimidade das manifestações populares. "Ficamos surpresos com o convite para esta reunião. Imaginamos que [a presidente] também esteja surpresa com o que vem acontecendo no país nas últimas semanas. Esse gesto de diálogo que parte do governo federal destoa do tratamento aos movimentos sociais que tem marcado a política desta gestão. Parece que as revoltas que se espalham pelas cidades do Brasil desde o dia seis de junho tem quebrado velhas catracas e aberto novos caminhos" diz a nota.

No pronunciamento, a presidente disse considerar "legítimos" os protestos, mas condenou "o vandalismo e os atos de violência" que marcaram muitas das passeatas.

Ela anunciou ainda a disposição de procurar os chefes do Legislativo e do Jdiciário para tratar da crise. Com relação ao Legislativo, Dilma apontou a Reforma Política como um dos caminhos para colocar o Poder Público em sintonia com os anseios populares.

"Precisamos dar mais transparência e tornar mais permeáveis as nossas instituições políticas. A população deve ter mais controle sobre seus representantes", afirmou em rede nacional de rádio e televisão.

Mas a presidente insistiu no imperativo de que as manifestações têm de ser pacíficas: "o governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos. Essa violência, promovida por uma minoria, não pode manchar um movimento pacífico e democrático".

Segundo a Agência Brasil, ao meio-dia, os administradores municipais participam de reunião na sede da Frente Nacional de Prefeitos. Paralelamente, o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, estará, às 15h, no Rio de Janeiro, para se reunir com o governador Sérgio Cabral e com o prefeito Eduardo Paes. O Rio foi a cidade onde se registraram os episódios mais violentos da recente onda de protestos. Cabral enfrentou na tarde de ontem uma manifestação nas imediações de sua residência, onde alguns ativistas continuam acampados.

Pelo que vem sendo noticiado na imprensa e nas redes sociais, há uma série de atos programados para esta semana em várias cidades, um deles pretende envolver todo o país na quarta-feira (26). No caso de Brasília, está programada uma nova concentração em frente ao Congresso, mas parte dos manifestantes quer também protestar diante do Supremo Tribunal Federal (STF), onde toma posse o ministro Luis Roberto Barroso, cujo nome foi indicado por Dilma e aprovado pelo Senado.

Conforme a Agência Brasil, no Distrito Federal, há manifestação marcada em Taguatinga, a maior cidade dos arredores do Plano Piloto, cuja concentração está prevista para as 14h desta segunda, na Praça do Relógio. De acordo com líderes do movimento, o protesto é contra a qualidade dos serviços públicos, a corrupção e os gastos na Copa das Confederações e na Copa do Mundo de 2014.

Em São Paulo, a previsão é que os protestos ocorram nesta terça (25). Há concentração marcada para as 7h, no Largo do Campo Limpo e no Capão Redondo. Em Belo Horizonte, onde vai ser realizada mais uma partida da Copa das Confederações (Brasil X Uruguai), justamente na quarta, tenso. Há expectativa da presença de mais de 100 mil pessoas nas ruas próximas ao estádio do Mineirão. A Polícia Militar quer manter os manifestantes fora do limite de segurança de 2 km em torno do estádio. A delimitação é uma exigência da Fifa.

Em entrevista coletiva no domingo (23), o comandante geral da PM de Minas, Márcio Sant'anna disse suspeitar da infiltração de "vândalos" nas manifestações em Belo Horizonte. Segundo ele, na quarta, "o embate será inevitável".

Fonte: Agência Senado 

Vamos torcer pra que uma solução saia desse encontro.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial