Bom, chegamos a mais um fim de semestre e de ano. Junto com ele, surge a velha dúvida...

Férias: Pra uns é tempo de relaxar, pra outros é a hora de intensificar os estudos.

By | sexta-feira, dezembro 19, 2014





Bom, chegamos a mais um fim de semestre e de ano. Junto com ele, surge a velha dúvida: Descansar ou estudar? Uma coisa exclui a outra? No caso de estudar, estudar o que? Matérias vistas durante o semestre? Matérias relativas a concursos públicos? Matérias que tive mais dificuldade? E agora, quem poderá nos defender?


Para auxiliar você em sua escolha, elencarei alguns pontos aqui para servir de debate. Sinta-se a vontade para comentar discordando ou concordando com os mesmos ou até mesmo acrescentando.

1. O descanso


A imensa maioria dos Universitários – que cursem ou não Direito – reserva as férias para os merecidos descansos. Você teve um semestre conturbadíssimo, recheado de madrugadas a fio acordado(a) à base de café, pó de guaraná, energéticos em geral, bacia de água gelada nos pés, ou de nada, enfim. 


Independentemente de você ter utilizado esses métodos pelo fato ter deixado pra estudar tudo em cima hora ou então porque quis intensificar os estudos, o cansaço é o mesmo.


Então, nada mais justo que colocar o sono em dia – se bem que se algumas pessoas tentarem colocar o sono em dia acabarão entrando em coma, rsrs. O estresse nesses casos é facilmente perceptível, logo, estudar num estado desse não vai render muita coisa. O melhor, então, é descansar bastante.

2. Estudar nas férias


Sou adepto do estudo nas férias sem necessidade de colocá-lo com martírio. Algumas pessoas insistem em colocar os estudos como martírio, sofrimento, enfim, algo que faz porque não tem jeito. Não podemos subjugar quem pensa assim, afinal cada um sabe onde o calo aperta e são diversos motivos que levam alguém a cursar Direito e convenhamos que são pouquíssimos, digo, raríssimos, quem ingressa no curso por amor ao conhecimento ou inconformismo social para prestar melhores serviços ao ordenamento jurídico. Alguns quando falam isso chegam até serem motivos de chacota, veja em que estágio nós chegamos. Por conta disso, se você tem em mente o desejo de ser cada dia melhor do que o dia anterior, uma mera lida num livro não mais que 30 minutos todos os dias não vai arrancar pedaço nem estragar suas férias. Conheço pessoas que estudam muito, mas muito mais do que isso nas férias com a maior normalidade possível. Como disse, cada um possui seus motivos.

Mas também o fato de você não topar nos livros durante o período de vacância não significa que você é um desleixado sem compromisso e que não quer nada com nada. É ai que entra a questão da disciplina. Disciplina é diferente de desespero. Disciplina é acordar cedo todo dia e estudar 2,4,6 horas diárias. Desespero é estudar 10 horas num dia em cima da prova achando que vai aprender algo que não seja mera decoreba quem em uma semana não lembrará mais. Se você tem disciplina e estudou conforme manda a cartilha e está satisfeito com o que aprendeu em 2014.2 por que não dá um descanso para suas doutrinas?

3. Bacharelando(a) concurseiro (a)


Agora tem um porém: Se você possui um viés mais concursal, ou seja, estuda pra concursos concomitantemente, nem preciso dizer que a palavra férias não existe NÉ? Principalmente se o edital já estiver na praça. Mas se a sua preocupação é apenas com os assuntos vistos em sala de aula e se você pensa que aprender aquilo é o suficiente, pra que passar as férias revendo tudo de novo? Não é mesmo? Isso vai de cada um, conforme disse anteriormente, cada um sabe onde o calo aperta.

Se você sofre da síndrome do “quanto mais eu sei, mais preciso saber” dificilmente a palavra férias existirá em seu calendário. Eu sofro dessa síndrome. Sei que estudar nas férias não dói nem arranca pedaço, mas se tem gente que em período normal já não estuda (maioria, você sabe disso), imagine discutir a possibilidade de estudar num período que não tem chamada nem prova pra pressionar? Entende onde quero chegar? É uma escolha sua que não cabe muito pedir interferência externa porque infelizmente o cenário do curso de direito é devastador, cada vez mais o curso está mal frequentado e vive passando vergonha numa prova onde não há concorrência e que passa com a média (inclusive já falei sobre isso aqui, caso queira ver é só clicar aqui). Por isso, tome muito cuidado com quem você pede conselhos.

4. Considerações finais


Bom, o fim de ano está chegando e com ele as festas, férias e recesso forense. Pelo menos nessa etapa, mesmo vocês ultrahipermega estudiosos(as) do Direito, o recomendável é parar um pouco e curtir com a família – por mais chato que seja ouvir as mesmas piadas de fim de ano e servir de advogado(a) de ceia de natal e ano novo.  É assim mesmo, o que seria de nós sem nossa família e as tias chatas que adoram lembrar que estamos solteiros mas mesmo assim perguntam das(os) namoradinhas(os)? Entretanto isso não significa ocupação das 24 horas do seu dia.

Após isso, coloque na balança os prós e contras de estudar ou não no período de vacância da Faculdade( e do recesso forense do fórum, caso você já esteja estagiando). Se a mente ta estressada, pesada, cansada de tudo e de todos, dê a você mesmo(a) o luxo de descansar 100% do tempo! Agora se você foi muito disciplinado durante o ano e ainda tem gás pra gastar nas férias ou está em plena fase de estudo pra concurso, estude! Agora com mais tempo sobrando será possível revisar algumas coisas e intensificar a preparação. Tudo depende de seu estado físico e psicológico. Entretanto, vamos relaxar um pouco também, não somos de ferro. É possível conciliar obrigação e lazer, basta fazer uma rotina e segui-la à risca pra não precisar perder madrugada porque não estudou antes.Uma coisa não exclui a outra, a não ser que você faça por onde excluir. Boas festas e bons estudos!




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial