Adiantar matéria, ler algo a mais, ou outro qualquer nome que você queira dar, é uma atitude que alguns acadêmicos gostam de praticar par...

Adiantando sozinho os estudos de uma disciplina: Algumas considerações

By | sexta-feira, janeiro 16, 2015

Adiantar matéria, ler algo a mais, ou outro qualquer nome que você queira dar, é uma atitude que alguns acadêmicos gostam de praticar para otimizar o tempo de estudo. Particularmente, quando tenho um tempinho sobrando, também gosto de adiantar matérias. Nem todos ficam presos às grades da sua faculdade, então não é pecado estudar tributário quando sua grade não tem ele ainda. Essa é uma das atitudes que dão vida à tão famosa lei dos universitários: "Quem 'faz' o curso é o aluno".


Mas a questão é: Como começar? Veremos aqui.




Passo 1: Selecionando a matéria



Existem inúmeros motivos que podem ensejar você a estudar alguma matéria mesmo sem ter visto ela na grade da faculdade ainda. Seja por motivos concursais (creio que esse seja o maior) ou por simples curiosidade ou até mesmo para realização de pesquisas, seja ou não aluno(a) de iniciação científica, é uma atitude louvável por parte do(a) acadêmico(a), visto que a maioria sequer estuda as matérias obrigatórias da grade.

Para selecionar a matéria leve em consideração o tempo necessário pra estudá-la juntamente com o tempo que você tem disponível para essa matéria. Tenha em mente que você tem outras coisas para estudar, então tudo deve estar meticulosamente calculado para não dar errado. Vai estudar pra concurso e não viu ainda a tríade sagrada na faculdade (Administrativo, Constitucional e os processos)? Então você já sabe mais ou menos qual vai escolher. Entretanto, como é estudo para concurso, é óbvio que você não vai pegar apenas uma dessas! Mas o foco aqui é mostrar pra você que se tem alguma matéria em seu edital que você não viu ainda na faculdade, por que não escolhê-la? Assim você não só revisará o que já sabe, mas também terá o domínio de todos os temas do certame, ampliando e muito as chances de aprovação.


Passo 2: Trilhando o meio de estudo



Escolhida a disciplina, agora é hora de saber como estudar. Como não haverá alguém te obrigando ou aplicando prova para averiguar seu conhecimento, o nível de disciplina para quem estuda dessa forma é extremamente maior. Para auxiliar nesse caminho, existem algumas ferramentas úteis que podem ser usadas como forma de um cronograma de temas que merecem sua atenção naquela matéria.

Uma ótima ferramenta, para quem quer adiantar matéria por questões acadêmicas/pesquisas é baixar a ementa da disciplina. Como a referida cadeira não está disponível no seu horário ainda, você terá que baixar alguma na web, o que não é tarefa difícil. Basta colocar no Google assim: “Ementa Direito agrário” e você verá diversas ementas de muitas Universidades. Ai é só você escolher a que for mais detalhada e mandar brasa!


Entretanto, para quem decide adiantar por conta própria o estudo das matérias por causa dos concursos públicos, o mapa de estudos é, sem dúvida alguma, o edital do seu certame. Se você quer estudar direito administrativo para, por exemplo, algum TRE, basta pesquisar os termos “Edital TRE” ou então acessar os sites das bancas examinadoras mais reconhecidas atualmente. Lá não haverá só o edital que você precisa para ter um norte, mas também diversas provas anteriores, que são excelentes ferramentas de estudo. Quando você estudar determinado tópico do edital, vai passando um traço ou sublinhando ele, assim o edital também servirá de controle de estudos! hehehe

Para levar seu estudo a outro nível, utilize entendimento jurisprudencial e informativos do STJ e STF sobre o assunto. Os informativos ficam no site de cada tribunal e a jurisprudência você encontra no portal JusBrasil. Assim, você dominará a tríade completa: Lei, doutrina e jurisprudência.

Passo 3: Encontrando o material para estudar



Já estamos carecas de saber que nem todos possuem condições financeiras de arcar com todas as despesas necessárias para a aquisição de todos os materiais de estudo. Por conta disso, o mercado de pirataria cresce cada vez mais e o mais interessante disso é que quem mais contribui são as pessoas que podem pagar, num gesto de “solidariedade” com os demais concurseiros, tornou-se prática de praxe a utilização de programas para gravar os vídeos de cursinhos e não só guardá-los dentro do PC, mas também disponibilizar na internet. Dessa forma, eles burlam o sistema de visualizações limitadas dos cursinhos (alguns não adotam mais essa prática, como o gran cursos e também a equipe do Eu Vou Passar, estes últimos que que inclusive são bastante elogiados pela galera concurseira que até repudiam quem distribui o material deles, pois o preço realmente cabe no bolso da imensa maioria. Aliás, o preço cobrado pelos cursos e a limitação de visualização são os maiores motivos para a pirataria)

Sabendo disso, existem diversos sites que distribuem gratuitamente não só livros, mas também diversos cursos em vídeo dos mais variados concursos a exemplo o portal minhateca, baixar grátis na net e os sites de torrent como o Kickass torrent. Uma simples pesquisa nesses sites e o internauta encontra até material para concurso de magistratura!


Mas também existem portais que distribuem material de estudo de forma gratuita mas sem ferir direitos autorais. O portal domínio público é o mais conhecido nesse aspecto. Mas existem vários sites que fazem artigos e apostilas gratuitamente para seus usuários. Para jurisprudências por exemplo tem o portal “Dizer o Direito” que é simplesmente fantástico. Uma dica para achar bons materiais gratuitos desses sites especializados (sites de advogados, professores, até mesmo dos cursinhos como o site casa do concurseiro que tem muito material grátis) é usar o termo que você quer + a palavra PDF. Exemplo: Quer estudar entes da administração pública? Coloca “Entes da administração pública PDF” no Google que você achará diversas apostilas.



Enfim, esses são os primeiros passos. Os próximos ficam por sua conta.  Bons estudos!



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial