segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Estudar lendo e escrevendo: Todo cuidado é pouco.



Estava conversando com um amigo/leitor do blog por email sobre esse tema e achei pertinente compartilhar com vocês algumas considerações
Imagem: Reprodução/internet

Estudar e escrever formam uma das duplas mais conhecidas dos acadêmicos de Direito – que possuem uma infinidade de informações disponíveis e que se não anotá-las acabam até mesmo esquecendo aquilo que estudou outrora. Aliás, fazer anotações/rabiscos ajuda e muito na fixação das informações em sua memória (confira aqui um artigo em inglês sobre uma pesquisa científica que comprovou isso). Entretanto, infelizmente, estudar escrevendo realmente toma muito tempo e - em alguns casos - acaba se tornando um verdadeiro martírio para estudantes e concurseiros de auto rendimento - que precisam absorver uma imensa gama de informações em um curto espaço de tempo

Quando estamos lendo a respeito de um determinado assunto, incrivelmente, todos os dados ali descritos demonstram absurdamente possuírem grande importância - dificultando nossa seletividade e otimização do que devemos ou não anotar no papel. A consequência disso é que acabamos escrevendo demais e lendo de menos.

Porém caso você já tenha um nível interessante de leitura é preciso tomar alguns cuidados. Para que você não desperdice esse seu talento, seria interessante abusar o máximo dele e deixar para escrever ao fim de sua leitura. Como você tem grande facilidade com a leitura dinâmica - ao término dela - sua característica seletiva ira se sobressair.

Outro grande aliado nessa batalha pela dinamização do tempo é a utilização de uma boa técnica de estudos. Como você lê bem e com grande destreza, seria interessante adotar - nem que seja temporariamente - a técnica de estudos pomodoro. Resumidamente essa técnica prega o dilema de cronometrar seu tempo de estudo, dividindo suas pausas em um pequeno espaço de tempo - dando descanso para o cérebro em tempos constantes. Geralmente o recomendável é colocar seu pomodoro com tempo de 30 minutos. Assim, ao final dos 30 minutos de leitura intensa, você separa apenas 10 para escrever, só que só passa a escrever depois de uma pequena pausa de 5 minutos do fim da leitura - para dar tempo ao seu cérebro de fazer uma análise e processar o que você acabou de ler.
Exemplo: Você possui apenas duas horas diárias para estudar. Hoje, no seu cronograma de estudos, tem direito constitucional e leitura de informativo do STJ/STF. Você liga seu pomodoro (que possui um aplicativo móvel para android/IOS, mas na verdade é um cronômetro diferenciado, você pode usar qualquer cronômetro ou alarme) ativa por exatos 30 minutos. Quando ele informar que passaram-se 30 minutos, reserve ao menos 5 minutos para fazer uma leitura "por cima do assunto" - folheando rapidamente as páginas e caso termine de folhear antes do 5 minutos, apenas descanse. Passados os 5 minutos, é hora de escrever. Escreva aquilo que você considera como mais importante, ou seja, o que você não pode deixar de saber de forma alguma sobre aquele determinado assunto. Veja que já foram 45 minutos (30 para ler, 5 para dar uma pausa na leitura intensa e mais 10 para escrever). Para fechar o seu horário basta repetir o esquema com outro enfoque – no caso os informativos. Caso tudo ocorra bem, ainda sobrará mais meia hora que você pode investir com mais leitura ou então com a resolução de questões pertinentes ao assunto estudado.

Exemplo: Estudando processo legislativo, você não precisa anotar que em relação às casas que formam o congresso nacional, uma representa o povo e outra representa os estados (e qual das duas é virada para cima ou para baixo), mas precisa quase que obrigatoriamente não só saber - mas também anotar para não esquecer - o quórum de aprovação das emendas constitucionais, da lei ordinária e da lei complementar, pois não são apenas os assuntos mais importantes, mas também são os que mais caem em concursos jurídicos justamente para tentar nos confundir. 

Mas veja que você só fez essa seletividade depois de ler 30 minutos, dar uma pausa,  e ver que realmente algumas coisas não precisam ser anotadas, mas que se você estivesse lendo e escrevendo poderia ter anotado por mero instinto mecânico. Além disso, escrever em formato de tópicos com setas também ajuda bastante a otimizar seu tempo de escrita. Agora é só repetir com a outra matéria. No começo pode ser que não dê tempo de anotar tudo que você queria em apenas 10 minutos, mas com muito treino suas habilidades irão se expandir vertiginosamente e você elevará seu estudo de auto rendimento para outro patamar.  Bons estudos!


Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *