Não adianta negar, todos nós em algum momento da vida estamos sedentos por motivação. Por isso, pas...

A necessidade de ser sua própria motivação

By | domingo, maio 08, 2016
Não adianta negar, todos nós em algum momento da vida estamos sedentos por motivação. Por isso, passamos horas e horas em busca dela para sanar esse vazio motivacional  para, enfim, darmos início à construção de nossos planos e, principalmente, iniciarmos a execução deles.

Essa busca aumenta ainda mais se você quer algo na área jurídica. Frequentemente somos expostos à milhares de notícias que insistem em passar em nossa cara que o curso de direito vai de mal a pior, que a maioria das faculdades prestam verdadeiros desserviços, que a advocacia está cada vez mais saturada e que tanto a concorrência quanto os concursos públicos estão cada vez mais difíceis e qualificados, deixando a maioria de quem sonhou exercer algo na área jurídica a ver navios.


Desta forma, muitas vezes inconscientemente, inciamos uma corrida para não irmos pelo caminho da maioria, para nadar contra a maré. Afinal, ninguém quer ser mais um, por mais que no final da história a maioria acabe sendo.




A primeira coisa a ser feita, claro, é irmos atrás dos pontos de luz em meio à essa escuridão alardeada 24 horas por dia - quais sejam, as pessoas que conseguiram ultrapassar a barreira do fracasso presumido: Advogados de sucesso, juristas famosos atualmente e, principalmente, pessoas que conseguiram a aprovação nos mais acirrados certames da área jurídica. Neste ponto reside um grande problema e o início de uma suposta solução, tudo vai depender da forma como encaramos os achados de nossas pesquisas.

E ai começamos a caçada em busca do depoimento perfeito. Daquele depoimento que deixe tudo explicadinho, daquele depoimento que salve a nossa pele, daquele depoimento que mostre o que aquela pessoa fez para não cair na vala comum, daquele depoimento que sirva de solução para os nossos problemas e inquietações quanto ao assunto.

O problema é que esse depoimento não existe, ao menos ainda. Um dia ele existirá quando você contar tudo que passou até atingir a sua meta profissional. Considero um erro buscar soluções de seus problemas através de atitudes que resolveram problemas alheios, atitudes que ajudaram alguém a chegar lá, atitudes de alguém que geralmente está numa realidade muito diferente da sua, seja positiva ou negativamente.


É um risco muito grande medir suas atitudes com a régua das ações alheias. A consequência disso é que você pode até mesmo fazer tudo que te disseram e mesmo assim obter resultados diferentes. E o motivo é simples: Você não é ele(a) e ele(a) não é você. 

Como profetiza o ilustre Caetano Veloso, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Por isso não vale a pena se martirizar só porque você não se encaixa no depoimento ou história de vida daquele alguém que chegou onde você quer chegar. Cada um tem seu tempo, suas limitações e suas subjetividades. 

Mas claro que não devemos e nem precisamos reinventar a roda. Vale a pena saber o que pessoas de sucesso - seja lá o que isso significar para você - fizeram ou tinham em comum quando atingiram o máximo de produtividade que acabou fazendo-as atingir um determinado resultado. O que não é interessante é vestir cegamente a camisa do Se Tício conseguiu, eu também consigo (clique na frase e confira um ótimo vídeo sobre o tema).

Isso é uma falácia simplista que acaba deixando de levar em conta todo o contexto dos bastidores que cada um passou para atingir um resultado. É preciso tomar muito cuidado com isso. O que podemos fazer é analisar o contexto, ver as ferramentas utilizadas e, principalmente, fazermos uma autoanálise: O que você está deixando de fazer em busca de seus sonhos por estar procurando soluções pra ele através dos sonhos realizados de outras pessoas

Se a resposta pra essa pergunta não for "nada, já fiz minha parte  hoje e estou apenas analisando detalhes de quem conseguiu para melhorar meu rendimento", pare já esse texto e vá fazer o que precisa ser feito. Viu? Parece simples, mas não é, pois o que precisa ser feito varia de pessoa para pessoa e o que você busca no gramado alheio para saber o que precisava ser feito e o que de fato foi pode ser muito diferente do que você deve fazer no momento.

Por isso tome muito cuidado como a forma que você enxerga o gramado alheio para não acabar observando o seu de forma deturpada ou até mesmo deixando de cuidá-lo ou cuidando da forma errada por achar que ele ficará verde da mesma forma que o do vizinho ficou. Ele pode precisar de cuidados diferentes do de seu vizinho.

Por isso, também, tente sempre manter o foco em seus objetivos e nos motivos que te fazem acordar todos os dias e ir pro estágio, ir pro trabalho, ir pra faculdade, dar play naquela videoaula já bem tarde e morrendo de sono - pois não há outro horário pra fazer isso -, ler aquele livro do tamanho da bíblia ou até maior que ela ou até mesmo ler aquele PDF até suas vistas arderem feito chamas. 

Respeite seu tempo, respeite suas limitações e sempre busque saná-las, tudo tem seu tempo certo, mas para que ele chegue um dia, nós precisamos fazer o que precisa ser feito.

Só você sabe o que precisa ser feito agora. Quando tentar fazer, não se preocupe: Se deu certo, comemore, se deu errado, serviu de aprendizado.

Use sua história e seus desafios pessoais como a maior motivação possível. Ser melhor do que foi ontem é um feito pra poucos(as). Além disso, motivação não vai faltar, pois você verá ela todos os dias diante do espelho quando for escovar os dentes após o café da manhã para começar mais um dia de batalha. E, ao final dele, você estará mais próximo de seus objetivos do que ontem. 



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial