Meus caros, sabemos que o exame da OAB é o verdadeiro terror dos acadêmicos de Direito.  ...

Segunda fase da OAB: Dicas para passar de primeira (ou fazer pela última vez)

By | quarta-feira, junho 29, 2016
segunda fase oab


Meus caros, sabemos que o exame da OAB é o verdadeiro terror dos acadêmicos de Direito. 

Desde 2010, o exame da ordem dos advogados do Brasil reprovou quase 90% dos candidatos.

Essa taxa seria perfeitamente normal se estivéssemos diante de um concurso público concorrido, mas não é o caso em questão. Literalmente, no exame da OAB, seu único concorrente é você mesmo. Não há quantidade de vagas estipuladas, ou seja, acertando 40 questões na primeira fase e tirando 06 pontos na segunda, você será aprovado (a).

Esses dados demonstram duas coisas: A qualidade do nosso curso está indo de mal a pior e que o exame da OAB não está de brincadeira. Ou você estuda ou irá para as estatísticas dos quase 90% de reprovados. A escolha é totalmente sua


Porém, todo mundo conhece pessoas muito dedicadas que acabam reprovando no exame da ordem. Talvez o motivo resida no desconhecimento do estilo de prova e cobrança de conteúdos, temas esses que você saberá agora. Pode ser também por conta de um dia ruim, acidentes fazem parte do percurso, o que importa é não desistir. 

Outra questão muito importante é: Como estudar? O que priorizar

Tentarei responder essas perguntas agora. Acabei de ser aprovado no XIX exame da OAB.  Acabei, também, de concluir o 9º semestre e o XIX exame foi minha primeira e única tentativa. Por isso, quero compartilhar o pouco que aprendi estudando para a OAB aqui com você, futuro(a) aprovado(a).

O foco desse post será o estudo direcionado para a segunda fase do exame. Caso você queira dicas também para a primeira fase, basta clicar aqui

Faça uma primeira fase impecável na matéria escolhida para sua segunda fase da OAB

Faça uma primeira fase impecável na matéria escolhida para sua segunda fase da OAB

O primeiro passo a ser dado para realizar uma boa segunda fase, sem passar por tanto aperto, é fazer o dever de casa na primeira fase. Estude todo o conteúdo da matéria escolhida por você para a segunda fase já na primeira fase. Isso irá te poupar um tempo monstruoso em seus estudos.

Da primeira para a segunda fase você terá mais ou menos 60 dias. 

Realizar essa tarefa logo na primeira fase fará você ir para a segunda com uma base muito boa de direito material. Lembre-se: A peça sozinha não aprova ninguém, apesar de valer metade da prova, a outra metade é feita de questões. Sem contar o direito material deve ser muito bem abordado por você no conteúdo da peça também.

O que eu recomendo fazer aqui é fazer um excelente material escrito por você na primeira fase. Caso você venha a participar de algum curso preparatório, não deixe de ver nenhuma aula de sua matéria da segunda fase. De preferência, anote até a respiração do professor.

Caso você não queira ou não possa fazer cursinho para a primeira fase, estude os assuntos mais cobrados (nas outras matérias de peso) pelo raio-x do estratégia concursos. Aliás, o estratégia faz um raio-x novo para cada edição do exame, leitura obrigatória para se situar sobre temas e leis que podem ser abordadas, viu? Principalmente da matéria que você fará a segunda. Pesquise na web vídeos e resumos acerca dela e faça o seu próprio resumo no caderno. É um resumo e não uma mini doutrina, ok?

Caso você não saiba fazer um resumo ou tenha dificuldades nisso, basta clicar aqui e conferir como eu faço. 

Caso você queira conferir 10 ótimos canais no youtube que podem te ajudar nos estudos da OAB, clique aqui.

Mas isso não tomaria muito tempo na preparação da primeira fase, Henrique? Você poderia me perguntar isso. Eu digo que não, para passar na primeira fase da OAB você não precisa estudar as 17 disciplinas que são cobradas pela FGV. É preferível focar apenas naquelas que mais possuem questões e também as matérias menores. Inclusive eu mencionei como fazer isso da forma correta nas dicas para a primeira fase

Afinal, você quer passar no exame da OAB ou dar entrevista no fantástico? 

Evite surpresas desagradáveis: Leia o EDITAL do seu exame, não confie 100% em seu material de estudos

Evite surpresas desagradáveis: Leia o EDITAL do seu exame, não confie 100% em seu material de estudos

Essa dica é extremamente importante, principalmente se você estiver estudando única e exclusivamente por cursinho. Leia sempre o edital de abertura de seu exame, nele constam todos os tópicos que podem ser abordados nas disciplinas do exame da OAB tanto na primeira quanto na segunda fase.

Depois de lido o edital, confira que tipo de conteúdo é abordado em cada tópico. Faça isso conferindo em livros, de preferência os livros de prática e explico o porquê.

De vez em quando vejo colegas que infelizmente reprovam porque a peça cobrada no exame não foi dada no cursinho. Por isso é extremamente importante conferir o edital e ver num bom livro de prática (ou em doutrinas mesmo) a extensão daquele conteúdo. 

O que importa aqui é saber quais são as peças que podem ser abordadas na sua prova. A grande maioria dos cursinhos não aborda todas as peças do exame. Conferindo num livro de prática (prática penal, trabalhista, constitucional, empresarial, tributária, civil, administrativa) já no sumário você verá quais são todas as peças daquela matéria.

Depois de conferir isso, veja se na ementa de seu cursinho constam todas aquelas peças. Se não constar, que é o que vai acontecer na maioria dos cursinhos que você pesquisar, fique atento quanto à estrutura das peças que eles não ensinarem e estude-as. Você pode fazer isso usando os canais do youtube que eu indiquei acima ou simplesmente buscando textos na internet, garanto que você encontrará vários.

Em se tratando de OAB é melhor pecar pelo excesso aqui. Sabe por que? Porque nada impede deles inovarem em sua peça, como aconteceu comigo e com o pessoal de direito penal. Volta e meia eles fazem isso, não estude apenas as peças mais cobradas, veja todas. Até porque a maioria possui estrutura semelhante, mas se você não leu ou viu algo sobre a peça como saberia disso? O problema é esse.

Aprenda (e escreva) o esqueleto de todas as peças ao menos uma vez

Aprenda (e escreva) o esqueleto de todas as peças ao menos uma vez

Há várias pesquisas na web indicando que escrever à mão ajuda muito na internalização do conteúdo estudado. Até o estilo de letra interfere nesse processo de aprendizagem. Podemos usar isso na OAB também. Escreva ao menos uma vez o esqueleto de todas as peças que podem ser cobradas pela FGV em seu exame. Não precisa escrever uma peça inteira, basta dominar o esqueleto dela, pois o conteúdo sempre muda conforme o caso apresentado, porém o esqueleto sempre será o mesmo. 

Repito aqui a importância de fazer isso com todas as peças e não apenas as mais cobradas. Não há impedimento algum para hipótese da FGV inovar em sua peça. Geralmente quando ela inova o índice de reprovação do exame referido é ligeiramente maior porque são poucos que tomam esse cuidado e acabam se jogando nos cursinhos de olhos fechados. Não faça isso se quiser fazer de seu exame o primeiro e/ou último. 

Escreva, escreva, escreva, escreva e escreva

Segunda fase da OAB: Dicas para passar de primeira (ou fazer pela última vez)

A segunda fase do exame da OAB é composta por uma peça prática e mais quatro questões discursivas. É uma prova cujas respostas são totalmente manuscritas.

Portanto, quanto mais você escrever durante sua preparação, melhor. Faço esse adendo porque pode ser que você que esteja lendo seja como eu, viciado em digitar. Eu venho tentando controlar esse vício há um tempinho e estudar para OAB totalmente pelos cadernos foi um avanço e tanto.

É importante ter isso em mente porque o tempo voa quando você está respondendo a prova. E isso pode ficar ainda pior se você não tiver uma boa fluidez na escrita. Então ao menos desses 2 meses pré-segunda fase tenta dar mais ênfase para a escrita. 

Sugiro começar desde a primeira fase conforme já recomendei. Mas se você estiver lendo isso depois de ter sido aprovado(a) na primeira, ainda dá tempo de calibrar as mãos e mandar ver na prova da OAB.


Dicas práticas para o dia da prova

Dicas práticas para o dia da prova

I - Não use o rascunho da peça para fazer a peça toda, faça apenas o esqueleto dela: Aqui é a hora de aplicar o que você fez em seus estudos de casa. Caso você tente fazer a peça toda no rascunho para depois passar a limpo na folha oficial, você não terá tempo de resolver todas as questões. Use o rascunho apenas para anotar qual é a peça cabível, qual fundamento e faça o pequeno esqueleto. Deixe para ir preenchendo esse esqueleto quando fizer a peça na folha de correção. 

II - Não use o rascunho das questões para responder as questões todas, faça apenas os esqueletos delas: O mesmo conselho dado para a peça serve para as questões. Use o rascunho apenas para identificar o problema, qual direito foi violado e qual medida deve ser feita. Fique sempre de olho na possibilidade de citar o fundamento legal do direito violado, por isso é importante ter em mãos um vade mecum com um bom índice remissivo (tanto para a peça quanto para as questões). 

III - Mesmo que você tenha levado água, saia para ir ao bebedouro e também para ir ao banheiro: Isso é ótimo para dar uma refrescada na cabeça. Recomendo que faça pausas no decorrer da prova para que você consiga manter um certo nível de concentração durante o exame. Leva alguma coisa leve pra comer, afinal você vai passar a tarde toda lá fazendo prova :)

IV - Mantenha a calma e tenha em mente que você fez sua parte: Talvez esse seja o conselho mais difícil de todos. Porém creio que seja o mais importante. Eu confesso para você que quando cheguei na última questão, faltando 30 minutos para o fim da prova (tempo estava sob controle, já tinha passado a limpo tudo, só faltava ela), o nervosismo começou a aparecer e isso refletiu em minha resposta. Apesar de saber o assunto, eu errei detalhes que me custaram alguns pontos simplesmente porque não enxerguei no enunciado uma palavra que dava de presente a resposta. O exame da OAB não é bicho de 7 cabeças não. Tenha calma e leia a prova com cuidado, pois é ela que mais pode te ajudar. Não veja ela como sua inimiga e sim como a ponte para o seu sucesso. Quando eu cheguei em casa e conferi a questão percebi o quão importante é manter a calma e ser frio quando necessário. Você é seu pior inimigo, não o enunciado de uma prova. Reflita. 

V - Leve um casaco, pode fazer frio na sala. Geralmente eles deixam o ar condicionado no talo.

Quanto à correção do exame da OAB

Quanto à correção do exame da OAB

A correção do exame da OAB, em especial a segunda fase - que ao contrário da primeira, não é feita por máquinas - reflete uma das características inerentes à espécie humana: Falhas. Eu vi várias provas com descontos de décimos retirados injustamente, mas nada que um recurso bem simples, direto e objetivo não conseguisse resolver. 

O que quero destacar aqui é: Preocupe-se com o que está ao seu alcance. Não tem porque ficar perdendo noite de sono e ficar nervoso(a) com medo de alguém corrigir sua prova porcamente. Se quer perder noite de sono, que seja estudando. Porém não recomendo fazer isso, sono é sagrado. Bem, você entendeu.

O que percebo nas correções do exame da OAB é um rigor extremo quanto ao espelho que eles disponibilizam. O que você pode fazer é: Reclamar o tempo todo da correção, seja no facebook, no twitter ou afins ou simplesmente conferir provas anteriores e se adequar ao padrão de respostas que tradicionalmente a FGV exige. 

Na página do exame da OAB/FGV é possível coletar todos os padrões de respostas de todas as edições anteriores do exame. Lá é possível conferir todas as questões e peças da segunda fase totalmente comentadas. De tanto ler esses padrões, fica fácil perceber qual a linha de raciocínio esperada pelos examinadores e, a partir daqui, você escolhe: Lutar contra eles inutilmente ou fazer o dever de casa. Eu preferi a segunda opção. 

É claro que existem edições do exame com problemas seríssimos, a exemplo do caso da peça de direito penal do X exame (o caso Jane). Teve candidato que até ingressou no judiciário para ter sua pontuação conferida e foi aprovado. 

Ele tinha feito a parte dele, era o que importava. 

O erro da FGV pode ser revisto, o seu não. Ao menos no mesmo exame, pois você terá outra oportunidade de participar de outra edição. Por isso foque no que interessa, erros fazem parte das correções humanas e para isso existem recursos, que inclusive muitos serão feitos por você futuramente, não é mesmo? =) 

O caso Jane foi um ponto fora da curva, a internet jurídica parou. Porém pense bem: Já estamos caminhando para o XX exame, isso foi há 10 exames passados. Cada exame aplica provas das 7 matérias da segunda fase, totalizando 140 provas. Será mesmo que um erro como esse do X exame, que ocorreu apenas em direito penal, merece tanto a sua atenção a ponto de interferir nos seus estudos? Pois é.

Valorize as revisões de conteúdo

Valorize as revisões de conteúdo

Sem revisar você esquece. Essa é uma das etapas do estudo mais cruciais para o bom entendimento e internalização do conteúdo. Não adianta fazer um excelente resumo do conteúdo do direito material, assim como elaborar todos os esqueletos de peças possíveis se depois de ter feito isso você deixar o caderno de lado e não topar mais nele.

Na internet há várias dicas de como revisar os assuntos estudados. Inclusive há um post muito interessante do Prof. Gerson Aragão - do blog método da aprovação - que explica três formas de revisar o conteúdo. Caso você não tenha ainda um método de revisão e queira dar uma conferida, clique aqui, vale a pena. 

O que importa aqui é que você encontre uma maneira de repassar o conteúdo estudado, nem que seja uma passada de olhos uma vez por semana, ou, na pior das hipóteses, por mês. Revisar é importante para sedimentar o que foi aprendido e quanto mais você revisa, mais você fixa o que estudou e maiores serão as chances de lembrar dele na hora H.

Concluindo

Segue um resumo do texto abordado:

- Estude tudo e mais um pouco da matéria da segunda fase já na primeira fase. As demais, veja os assuntos mais recorrentes.
- Esqueça o teclado, escreva seus resumos à mão.
- Não confie de olhos vendados no seu cursinho, leia o edital do seu exame.
- Saiba quais são todas as peças que podem ser abordadas na sua prova, para isso consulte livros de prática ou se possível adquira um.
- Faça ao menos uma vez o esqueleto de todas as peças possíveis de serem abordadas na sua prova.
- Não esquente a cabeça com fatores que não estão ao seu alcance, preocupe-se em fazer sua parte.
- O erro da banca pode ser corrigido, o seu não. 
- Seu maior inimigo é você mesmo, não o enunciado de uma prova. A forma como você encara as dificuldades faz toda diferença nos resultados de suas ações.
- Confira as respostas das edições anteriores e perceba a lógica cobrada pela banca examinadora, tanto quanto ao conteúdo como a distribuição de pontos. 
- Mantenha o fator emocional sob controle, o exame da OAB não é um bicho de 7 cabeças, mas pode se tornar um a depender da forma de você enxergá-lo.
- Revise o conteúdo estudado, sem revisar você esquece. 

Não tenha dúvidas, fazendo o que está aqui, você certamente vai passar! Seja com 10 ou com 06, o que importar é conferir seu nome na lista de aprovados e ver todo o se esforço ser recompensado com a aprovação. 


E com esse post encerro a coluna diário de um oabeiro. Caso tenha alguma dúvida pontual ou algo do tipo, deixe sua pergunta nos comentários ou me envie um e-mail que terei o maior prazer em responder. Até a próxima. 

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial