6.16.2017

Exame da OAB: Estudando as matérias e assuntos certos

Exame da OAB: Estudando as matérias e assuntos certos


Olá, JusAmigos(as),

O Exame da OAB - Ordem dos Advogados do Brasil - figura como um dos temas mais falados por aqui. No entanto, notei que ainda não há um texto indicando matérias e assuntos certeiros para potencializar a preparação para este exame.

Motivos não faltam para dar uma atenção especial a ele: Além de ser a porta de entrada para o exercício da advocacia, a prova contém especificidades que se não observadas podem derrubar do cavalo até mesmo os mais bem preparados bacharéis em direito. 

E infelizmente essas especificidades, por mais estampadas que estejam, acabam sendo ignoradas. Resultado: Um exame cuja taxa de reprovação já chegou a eliminar 80 ou 90% dos candidatos.

O que fica ainda mais alarmante tendo em vista que, na prova da OAB, o único concorrente efetivo do candidato é ele mesmo. Afinal, a nota média nas duas fases é suficiente para a aprovação.

No texto de hoje, pretendo ajudá-lo(a) a não ser mais um número nas estatísticas negativas.

Como? Veremos as matérias que merecem mais atenção para a primeira fase da prova da OAB, além de também saber como estudá-las

Matérias que recomendo focar para passar de vez no exame da OAB (e por quê)

Matérias que recomendo focar para passar de vez no exame da OAB (e por quê)

Antes de iniciar qualquer recomendação, creio que seja interessante abrir um parêntese para justificar os meus porquês. 

Vamos lá.

A primeira fase do exame da OAB é composta por, nada mais, nada menos, 17 disciplinas. Muitas delas intermináveis, outras embora não tão grandes, acabam sendo extensas demais para possuírem tão poucas questões abordando seu conteúdo.

Como não se bastasse, o tempo é muito curto para alguém cometer a aventura de tentar ver essa montanha de assunto de tantas áreas do direito em meses. O exame da OAB cobra matérias vistas durantes os cinco anos de faculdade. É do campo da lógica a conclusão de que não dá pra ver tudo isso em meses, pelo menos não para quem de fato estuda com técnica e foco para realmente lograr o resultado positivo ao final do exame.

Tendo em mente a impossibilidade de esgotar todos os assuntos de todas as matérias e que a quantidade de questões por disciplina segue um padrão nas provas da FGV, cabe ao examinando conjugar esses dois fatores e desaguar na seguinte meta: Estudar as matérias com maior quantidade de questões e menor extensão possível

No quesito quantidade de questões por disciplina no exame da ordem, vale a pena conferir essa citação que eu retirei diretamente da última edição do Exame de ordem em números, trabalho periodicamente elaborado por pesquisadores da FGV que objetiva conhecer o perfil dos examinandos, bem como fornecer dados precisos acerca do exame da OAB:
Em termos de estrutura, a prova objetiva é composta por 80 questões  e tem caráter generalista: procura avaliar o conhecimento acumulado pelo examinando ao longo do curso de graduação. Para tanto, seu conteúdo abrange as diferentes áreas do conhecimento jurídico, incluindo: Direito Administrativo (6 questões), Direito Civil (7), Direito Processual Civil (6), Direito Constitucional (7), Direito Empresarial (5), Estatuto da OAB e Código de Ética (10), Direito Penal (6), Direito Processual Penal (5), Direito do Trabalho (6), Direito Processual do Trabalho (5), Direito Tributário (4), Direito Ambiental (2), Direito do Consumidor (2), Estatuto da Criança e do Adolescente (2), Direito Internacional (2), Direitos Humanos (3) e Filosofia do Direito (2).
- Exame de ordem em número, 2016, volume III.
Com esses dados em mãos, vamos separar as matérias, levando em consideração, neste momento apenas o critério quantidade de questões:

10 Questões: Ética.
07 Questões: Direito Constitucional; Direito civil.
06 Questões: Direito Administrativo, Processual Civil, Penal, Trabalho.
05 Questões: Direito empresarial, Processual Penal, Processual do Trabalho.
04 Questões: Direito Tributário.
03 Questões: Direitos Humanos.
02 Questões: Direito Ambiental, Internacional, ECA, Consumidor, Filosofia do Direito.

E aqui tem início a hora da escolha. Ela deve começar do topo e terminar na base. Dessa forma, ética deve ser obrigatoriamente matéria presente em sua lista de disciplinas de estudo obrigatório. Já Ambiental, talvez.

Porém, nem só de quantidade de questões viverá o homem. É preciso analisar a extensão de cada matéria para ver se realmente vale a pena abrir de uma em nome da outra.

Analisando a extensão das disciplinas com maior quantidade de questões no exame da OAB

Exame da OAB

Já sabemos quais são as matérias com maior quantidade de questões na primeira fase do exame da OAB. Antes de pensar em como estudá-las, é preciso analisar a extensão dessas disciplinas. A intenção é simples: Estudar as menores possíveis para esgotar o máximo possível de assuntos e aumentar ainda mais as chances de aproveitar a totalidade dessas questões.

Conferindo a lista do tópico, podemos descartar do foco (não estou dizendo para deixar de estudar, mas sim não colocar como prioridade) as matérias com menos de quatro questões: Ainda sobram 75 questões e 11 matérias. Muita coisa para quem precisa de apenas 40 e não quer dar entrevista no fantástico, apenas quer passar.

Analisando apenas pelo tamanho, eu cortaria as 4 maiores que estão vivas ainda nesse paredão: Civil, Processual Civil, Penal e Processual Penal. Embora civil tenha 7 questões e CPC tenha 6, impossível esgotar o assunto de tudo dessas. Penal e Processual penal, embora menos em termos de extensão, em comparação às demais, são inegavelmente maiores, cortaria também sem dó.

Aliás, esse corte estratégico é o mesmo que professores de vários cursos preparatórios recomendam fazer. Quando prestei o exame da OAB, tive a sorte de ter um desses aulões de véspera presencial aqui onde moro. Os professores deram justamente essa dica. Coincidentemente, vi a mesma coisa sendo dita no periscope pelos Profes que estavam dando dicas grátis por lá (aliás, quem não tem periscope trate de baixar no celular e acompanhar, há muito conteúdo TOP por lá!).

Assim, restaram as 07 escolhidas: Ética, Constitucional, Administrativo, Trabalho, Processo do Trabalho, empresarial e tributário.

Porém, como tudo no direito, há exceção à essa lista no caso de você ter optado na segunda fase por alguma das matérias excluídas por serem extensas demais (civil, penal, cpc e cpp). Se você vai prestar segunda fase - em civil ou penal - seria bom colocar essas matérias em sua lista, tirando alguma da lista no lugar. A razão é óbvia: Você tem afinidade com a matéria, tem bagagem e vai dar conta de terminar em tempo justamente por isso.

Como escolhi constitucional na segunda fase do exame da OAB, mantive o corte da forma padrão, sem precisar seguir exceção alguma.

Vale a pena lembrar: Não estou dizendo para esquecer que as matérias excluídas existem, mas sim que há matérias que merecem muito mais atenção e que não podem ser postas em segundo plano enquanto você não estudá-las direitinho. DEPOIS dessas, você vê o resto na medida do possível.

Diante de tudo isso, com um olho na sua afinidade com as matérias e outro na extensão/quantidade de questões distribuídas por disciplina, chegou a hora de finalmente botar a mão na massa. Acontece que essas matérias possuem temas que se repetem bastante também. Isso significa que há um segundo filtro a ser observado: Entre as matérias com maior quantidade de questões e melhor custo-benefício para estudos, há assuntos que rotineiramente são os mais cobrados.

Matérias escolhidas, é hora de executar o plano: O que estudar para a primeira fase do exame da OAB?

Matérias escolhidas, é hora de executar o plano: O que estudar para a primeira fase do exame da OAB?

O Exame da Ordem é bem legalista, com alguns toques de entendimento jurisprudencial pacificado (em regra as súmulas do STJ e STF, bem como as vinculantes) e, eventualmente, algum toque de posicionamento doutrinário, numa questão ou em outra. 

Sabendo disso, a execução do estudo pode ser feita através da: 1 - Leitura da lei seca constante no edital de sua edição do exame (agora o exame da OAB tem conteúdo programático constante no edital); 2 - Leitura das súmulas do STF e do STJ e das súmulas vinculantes e, principalmente, 3 - Resolução de questões anteriores.

Ocorre que se você for olhar o tamanho do conteúdo de cada matéria corre sérios riscos de ter um ataque cardíaco. Contudo, conforme já dito por aqui, existem temas que possuem uma predileção maior de incidência na prova da OAB. É por eles que você deve começar.

Para servir de guia de estudos, recomendo acessar um artigo publicado pelo Prof. Ricardo Torques, do Estratégia Concursos, no qual ele destaca - conforme prévia pesquisa de banca cuidadosamente realizada - os cinco temas mais cobrados de todas as matérias que são objeto de cobrança na primeira fase do exame da ordem. Você pode usar esse guia até mesmo para passar os olhos nos temas mais cobrados das matérias que você não dará tanta prioridade, como filosofia do direito. Ao menos tente ver algum dos temas mais recorrentes dela, por exemplo, se der tempo!

Além desse artigo do Torques, recomendo conferir também um excelente post elaborado pela galera do portal Prova da Ordem. Na ocasião, eles fizeram um verdadeiro dossiê de todas as matérias objeto de cobrança da primeira fase e listaram, detalhadamente, os temas mais cobrados de cada uma delas, informando até mesmo a quantidade de questões que cada tema teve na prova da OAB

Para conferir o guia com os cinco temas mais cobrados por matéria na primeira fase do exame da OAB, bem como o post informando de forma detalhada os temas mais cobrados, clique abaixo nos seguintes links:

Não esquece de salvar eles nos favoritos, afinal você retornará aos textos sempre que for começar sua sessão de estudos. Se possível, imprima esses conteúdos, uma vez que lhe serão extremamente úteis durante toda a caminhada na preparação visando a aprovação na primeira fase do exame da ordem.

Considerações finais

Harvey! Exame da OAB: Estudando as matérias e assuntos certos


Bem, chegamos ao final desses breves apontamentos acerca do exame da OAB quando da escolha das matérias mais indicadas, assim como os assuntos que devem pautar o topo das prioridades no momento sagrado do estudo. O propósito desse simples texto é apenas pavimentar o caminho rumo à aprovação nesse exame que infelizmente possui taxas alarmantes de reprovação em todo o Brasil.

Em que pese abordar numerosas matérias vistas desde o começo da faculdade de direito, o exame da OAB não precisa ser visto como o bicho de sete cabeças. Estudos como o que é realizado pela própria FGV devem ser de conhecimento e uso obrigatório por parte de quem almeja realizar uma preparação com técnica e foco única e exclusivamente na aprovação.

Com matérias que dominam o ranking de questões, que por sinal possuem entre si assuntos mais cobrados, o estudo realizado tende a ser mais pontual e realista. Sem necessidade de perder o juízo por ver o tamanho do conteúdo abordado e a óbvia impossibilidade de esgotar em meses o que deveriam ser visto em anos. 

Lembre-se: Quando o assunto é exame da OAB, 40=80 e 06=10

Caso tenha interesse, não deixe de conferir os cursos preparatórios gratuitos para o exame da OAB já divulgados aqui no blog. Para isso, acesse a seção "OAB" (nome bem sugestivo, né? rsrsrsr).

Sucesso sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Diário de um estudante deDireito

No ar desde 2012 e com mais de 10 milhões de acessos, o @diariojurista figura como um espaço virtual para a comunidade acadêmica e não acadêmica também. Com textos objetivos e com linguagem simples, visa compartilhar informações, resumos, notícias, dicas e troca de ideias a quem por elas se interessar. Quem escolheu o Direito será um eterno estudante.




Postagens recentes

recentposts

Não deixe de conferir

randomposts