9.10.2017

Dalai Lama e as horas líquidas alheias

Dalai Lama
Dalai Lama. Imagem: Foto/Reprodução (Buda Virtual).

O emaranhado humano que transita nas robóticas redes sociais tem um toque peculiar dado pelos concurfriends

Esse termo é o utilizado nas hashtags usadas pela galera do instagram e twitter, que usa estas ferramentas em busca da socialização virtual com outros, que também estão em busca de um cargo público para chamar de seu.

Aliás, o blog está em ambas as redes sociais. Não deixe de  acompanhar no IG e/ou no twitter.

Através dessa tag você será apresentado(a) ao mundo concurseiro. Mnemônicos, dicas das mais variadas matérias, memes, piadas internas que só os concurfriends vão entender, mais memes, postagens de superação e, também, o tipo de postagem mais polêmica que mamilos e que é o tema central do texto de hoje: Horas líquidas.

A polêmica que me refiro é a seguinte: Enquanto alguns curtem muito a iniciativa de alguém compartilhar a carga horária diária, semanal, mensal ou até mesmo anual investida nos estudos como forma de motivar quem está no mesmo caminho, outros odeiam com todas as forças justamente por creditarem a esses posts um efeito inverso.

De acordo com estes últimos, essas postagens serviriam mais como uma forma de desestímulo do que o contrário, pois pode ser que quem esteja a vendo  não tenha sequer condição de fazer metade daquele tanto de horas.

Como essa fase de estudo aflora uma sensibilidade muito grande, dá para compreender o potencial que uma simples postagem do IG possa impactar tanto a vida de alguém. 

Principalmente se esse alguém estiver na mesma luta que o postador, ou concurfriend, como queira.

Para que esse tipo de influência não aconteça, especialmente a negativa, é preciso que o concurfriend lembre de uma famosa frase de Dalai Lama que tem tudo a ver com a questão:

Não permita que o comportamento dos outros tire sua paz.

Isso não serve apenas para que você não seja influenciado, mas também para que não seja mais um disseminador desse ciclo que já passou da hora de ter o seu fim.

Se o número de prints postando hora líquida é grande, acredite, o número de posts zombando ou pejorando esses mesmos prints é ainda maior.

Vejo essa questão como um verdadeiro exemplo prático de que o print do concurfriend conseguiu, de fato, perturbar a paz do colega que tenta de alguma forma negar a possibilidade daquele print ser verdadeiro. 

De negar a possibilidade de que exista alguém no mundo que consiga estudar, em termos quantitativos e qualitativos, muito mais do que ele. 

Não há nada de errado com o fato de alguém estudar mais ou menos que você. Cada um tem seu estágio atual, o que não significa que todos devam ser iguais por terem o mesmo objetivo. Uma coisa não tem relação com a outra. 

O processo de comparação é quase que automático.

O problema disso tem início numa premissa básica: você não conhece a realidade de quem está postando

Cada um tem uma realidade, um gargalo, estágio diferente. Seja quanto ao tempo, estado, finanças, momentos da vida.

Um processo de comparação seguro é aquele em que você conhece a maior quantidade possível de variáveis de ambas as partes.

O máximo que você conhece do concurfriend ao lado é que ele estudou 4 horas hoje de acordo com o print de um app. 

Esse print é um iceberg de um mundo de variáveis que dificilmente alguém que não seja o próprio concurfriend postador saberá: é da própria vida dele(a) que estamos falando. 

De quanto tempo ele teve hoje, se trabalha, se não trabalha, no que trabalha, a carga horária, a saúde mental, as condições físicas, financeiras e emocionais, enfim, detalhes que ninguém conta em rede social. 

No máximo aponta um ou outro, mas jamais todos.

Sendo assim, muito temerário é o ato de você - que não conhece nada além do @ do concurfriend alheio - usar o print dele para fazer qualquer espécie de comparação com a sua vida, que você conhece muito melhor que qualquer outra pessoa.

Você não está sendo justo consigo quanto coloca, numa mesma balança, de um lado as horas que você estuda - sabendo de todas as variáveis que sua vida impõe e que você acrescenta - ao lado de um print de um, no máximo, ilustre desconhecido que tem em comum com você apenas o fato de estudar para concurso.

Por que além de ficar triste ou publicar denegrindo o concurfriend você não manda um inbox para saber mais sobre como ele estuda? Quais materiais usa? Como organiza seus estudos? 

Assim você adquire mais variáveis não para fazer comparações, mas sim para incrementar a forma com a qual você estuda. Ou até mesmo compartilhar seu ponto de vista caso ele esteja cometendo um erro que você já cometeu e reparou. 

Não se arme perante os prints, pelo contrário, aproveite a abertura para saber mais sobre quem está por trás do @ e quem sabe assim, além de poder ajudar e ser ajudado, você consiga pegar o espírito dessa hash: ConcurFRIENDS.

O foco de cada um está em melhorar todos os dias. 

E se para isso tivermos amigos para percorrer esse caminho, melhor ainda. 

Para fazer inimizade é tão fácil. Pra quê criar mais uma forma?  

Bom estudos, sem neuras e comparações desnecessárias e com mais amizade. Sem permitir que tirem sua paz, mas sim compartilhá-la com ou sem print de horas de estudo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Diário de um estudante deDireito

No ar desde 2012 e com mais de 10 milhões de acessos, o @diariojurista figura como um espaço virtual para a comunidade acadêmica e não acadêmica também. Com textos objetivos e com linguagem simples, visa compartilhar informações, resumos, notícias, dicas e troca de ideias a quem por elas se interessar. Quem escolheu o Direito será um eterno estudante.




Postagens recentes

recentposts

Não deixe de conferir

randomposts